Movimento Viva Brasil
Share |




Toda a farsa do desarmamento exposta em rede nacional pela Rede TV. Não deixem de assistir!










Rádio Câmara: Movimento Viva Brasil apoia revogação do Estatuto do Desarmamento

Em entrevista ao Com a Palavra..., o presidente do Movimento Viva Brasil, Bené Barbosa, desmente que o assunto esteja sendo custeado pela indústria bélica e afirma que mudanças atenderão anseios da população.









 

 

 
 
 
 
 
 
  • COMÉRCIO IRREAL DE ARMAS (28/01/2015)
    Com isso, o país segue num faz-de-conta. Finge que respeita a soberania popular, com o governo alegando que o comércio de armas ainda existe – sob a defesa de alguns incautos e de nada inocentes entidades desarmamentistas -, enquanto o cidadão não tem seu direito sequer minimamente respeitado. Sem abalo, mesmo, segue o comércio ilegal, abastecido pelo tráfico internacional e pela corrupção. Este, sim, foi preservado.
  • A criminalidade americana e o pacifismo verde-amarelo. (28/01/2015)
    É exatamente isso que mostram os números divulgados, no último dia 26, pelo FBI em seu relatório semestral sobre crimes violentos e contra a propriedade. Os crimes violentos, entre eles homicídios e estupros, tiveram uma queda de 4,6% no primeiro semestre de 2014 em comparação ao mesmo período de 2013.
  • INFORMATIVO PL3722 - ÚLTIMAS NOTÍCIAS (18/12/2014)
    Designada para essa quarta-feira (17.12), a última sessão deliberativa da Comissão Especial constituída para a análise do Projeto de Lei nº 3.722/12, que revoga o Estatuto do Desarmamento e o substitui por nova legislação, foi cancelada. Com isso, a tramitação do projeto deverá ser reiniciada na nova legislatura, a partir de fevereiro de 2015.
  • NOTA PÚBLICA: SUBSTITUTIVO AO PL3722/12 (12/12/2014)
    O MVB, como sempre fez durante a tramitação do projeto, está atuando fortemente, em articulação com os parlamentares da Comissão, para reverter as propostas que se apresentam desprovidas de qualquer razoabilidade. No entanto, por dever de transparência, é imperativo registrar que, não sendo possível a alteração do texto do substitutivo, será retirado o apoio até então manifestado ao projeto, ainda que isso implique em atuação voltada ao seu arquivamento provisório na atual legislatura.
  • O nada paradoxal desarmamento na Venezuela (14/11/2014)
    Em termos diplomáticos, a falta de aviso prévio pode ser interpretada como uma afronta à soberania nacional e contrário às boas relações entre dois países. Sendo o governo brasileiro antigo aliado do venezuelano, há quem desconfie da veracidade desta falta de comunicação uma vez que ingerência muito maior é causada pelo chamado Foro de São Paulo que desde a década de 90 assombra e ameaça a democracia na América Latina e encontra conforto e acalanto também nos braços dos governantes brasileiros.
  • ATIRADORES, COLECIONADORES, CAÇADORES E POLICIAIS NA MIRA DO DESARMAMENTO (16/10/2014)
    Continuam causando grande repercussão as duras críticas emitidas pelo Movimento Viva Brasil às medidas anunciadas pelo Exército Brasileiro em reunião organizada pela Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados, contendo novas e inaceitáveis restrições aos atiradores esportivos, policiais, colecionadores e caçadores
  • Exército alinhará normas que regem Atiradores, Colecionadores e Caçadores à política nacional de desarmamento (13/10/2014)
    O alinhamento com a ditatorial política nacional de desarmamento ficou claríssima, transparente e impossível de ser negada. Nos restará a via judicial e a modificação da lei atual. Até quando os Atiradores Esportivos e Colecionadores de armas ficarão à mercê de humores e interpretações daqueles que possuem o poder da caneta? Seria a hora de discutirmos a criação de uma lei que garanta os direitos dos chamados CACs? Vários deputados federais já se colocaram à disposição do MVB para isso.
  • STJ afasta crime por registro de arma vencido (08/09/2014)
    Em julgamento realizado no último dia 26 de agosto, o Superior Tribunal de Justiça concedeu habeas corpus a um acusado por posse ilegal de arma, extinguindo a ação penal a que ele respondia. Na análise do processo, os ministros julgadores entenderam, à unanimidade, que a existência de registro de arma de fogo vencido não se caracteriza como posse ilegal de arma e, por isso, não pode configurar crime, sendo apenas uma infração administrativa.
  • Grandes eventos, boa segurança. E depois? (15/07/2014)
    Durante a Copa, a seleção alemã massacrou a brasileira em um jogo de futebol mas todos sobreviveram e continuarão com suas vidas, quiçá levantando novamente a faixa em favor do desarmamento enquanto andam em carros blindados, são protegidos por seguranças armados ou se beneficiando da real segurança de países onde atuam. No jogo da vida – da sua, da minha, da nossa vida real - a violência continua. A taxa de mortos chegou a 29 por 100 mil habitantes em 2012. Na Alemanha, é de 0,9. Mata-se no Brasil 32 vezes mais. O padrão de qualidade não evitou um massacre figurado em gramado e não evitará o massacre anual fora dele.
  • A incoerência baseada em ideologias (19/06/2014)
    E o cidadão “comum”? Fica como está. Refém da criminalidade e da lei que o impede de exercer a sua liberdade de escolha de, se quiser, optar em possuir e portar uma arma para sua defesa. De qualquer maneira, a inclusão de mais duas categorias profissionais mostra, mais uma vez, o quanto o chamado Estatuto do Desarmamento é absolutamente desajustado à nossa realidade e se baseia, não há dúvidas, nas ideologias retrógradas que culminaram na criação da extinta URSS em 1917, que até hoje é o maior exemplo de como o Estado pode se tornar cruel e assassino. Aceitem: não existe liberdade sem armas para defende-la!
Share |
     
     

Login Senha (?)