Movimento Viva Brasil
Share |










 


 

 

 
 
 
 
 
 
  • Grandes eventos, boa segurança. E depois? (15/07/2014)
    Durante a Copa, a seleção alemã massacrou a brasileira em um jogo de futebol mas todos sobreviveram e continuarão com suas vidas, quiçá levantando novamente a faixa em favor do desarmamento enquanto andam em carros blindados, são protegidos por seguranças armados ou se beneficiando da real segurança de países onde atuam. No jogo da vida – da sua, da minha, da nossa vida real - a violência continua. A taxa de mortos chegou a 29 por 100 mil habitantes em 2012. Na Alemanha, é de 0,9. Mata-se no Brasil 32 vezes mais. O padrão de qualidade não evitou um massacre figurado em gramado e não evitará o massacre anual fora dele.
  • A incoerência baseada em ideologias (19/06/2014)
    E o cidadão “comum”? Fica como está. Refém da criminalidade e da lei que o impede de exercer a sua liberdade de escolha de, se quiser, optar em possuir e portar uma arma para sua defesa. De qualquer maneira, a inclusão de mais duas categorias profissionais mostra, mais uma vez, o quanto o chamado Estatuto do Desarmamento é absolutamente desajustado à nossa realidade e se baseia, não há dúvidas, nas ideologias retrógradas que culminaram na criação da extinta URSS em 1917, que até hoje é o maior exemplo de como o Estado pode se tornar cruel e assassino. Aceitem: não existe liberdade sem armas para defende-la!
  • PALESTRA EM CAXIAS DO SUL/RS - 22 DE JULHO (19/06/2014)
    A Casa das Armas está trazendo à Caxias do Sul, o nome de maior representatividade na luta pelo direito a legítima defesa no Brasil, para um hangout sobre controle de armas. Se hoje temos este direito garantido, se temos armas de fogo, muito se deve ao trabalho deste homem no referendo de 2005. Não perca esta oportunidade exclusiva. As vagas são limitadas, mediante cadastro.
  • Atirador desportivo é absolvido de acusação por porte ilegal de arma (06/06/2014)
    ...a decisão do Tribunal faz expressa citação às disposições do artigo 32 do Decreto nº 5.123/04, que não incluem o atirador esportivo dentre os obrigados ao transporte de arma desmuniciada. A citação foi feita como referência direta a um artigo doutrinário do diretor da ONG Movimento Viva Brasil, Fabricio Rebelo, que destrincha os direitos e as obrigações a que se vinculam Colecionadores, Atiradores e Caçadores, os “CAC”.
  • REVISTA VEJA - RODRIGO CONSTANTINO - TSUMANI DA VIOLÊNCIA (02/06/2014)
    Outro ponto que chama a atenção é o desarmamento. Houve forte campanha do governo no começo da década passada, e o Estatuto do Desarmamento foi posto em prática, apesar de referendo contrário, fazendo com que as vendas legais de armas desabassem. Não obstante, o que se viu foi o aumento de assassinatos nesse período.
  • Desarme brasilero: un fracaso incontestable (30/05/2014)
    Mientras Brasil insistía en políticas de desarme que apenas hacían frágiles el ciudadano, dejó de combatir las actividades criminales de las cuales realmente transcurren los homicidios. Sin estar en el foco de las políticas de seguridad pública y con la sociedad gradualmente indefensa, la criminalidad se ha fortalecido y, con eso, más y más muertos se van contabilizando.
  • Défense Active des Amateurs d'Armes - Désarmement brésilien: un échec incontestable (30/05/2014)
    Comprendre cette augmentation n'est pas difficile. Le problème est que les politiques de désarmement au Brésil ou dans d'autres pays ont seulement la possibilité d'affecter des crimes passionnels, ceux traités dans le «Étude mondiale sur les homicides - 2014» de l'ONU elle-même comme " crimes interpersonnels » commis impulsivement et détenir légalement une arme à feu pourrait en être un élément facilitateur. Toutefois, la participation à ces crimes dans le nombre total d'homicides au Brésil est minime parce que dans le pays, selon la même étude, la principale cause de l'homicide est la pratique d’activités criminelles - Les homicides liés aux activités d'autres criminels - ou autrement dit les meurtres brésiliens sont directement liés à d'autres crimes, en particulier le trafic de drogue et le vol.
  • Brazilian disarmament: an undisputed failure. (28/05/2014)
    While Brazil insisted on disarmament policies that only made the citizens vulnerable, the country failed to battle the criminal activities of which the murders actually stem. Without being in the focus of public security policies and with society turning gradually helpless, crime was strengthened and, with that, more and more deaths are being recorded.
  • Desarmamento brasileiro: um fracasso incontestável. (28/05/2014)
    Enquanto o Brasil insistia em políticas desarmamentistas que apenas fragilizavam o cidadão, deixou de combater as atividades criminosas das quais realmente decorrem os homicídios. Sem estar no foco das políticas de segurança pública e com a sociedade gradativamente indefesa, a criminalidade se fortaleceu e, com isso, mais e mais mortos vão sendo contabilizados.
  • Comissão Especial analisará projeto que revoga o Estatuto do Desarmamento (28/05/2014)
    Após 10 anos de existência, quais os resultados do Estatuto do Desarmamento para o Brasil? Com este questionamento em pauta, uma Comissão Especial formada por 46 deputados (23 titulares e 23 suplentes) analisará o PL 3722/12, que cria novas regras para a aquisição, posse e porte de armas de fogo no país. O projeto é do catarinense Rogério Peninha Mendonça (PMDB), e tem grande repercussão em Brasília.
Share |
     
     

Login Senha (?)